Crítica: Capitão América - O Primeiro Vingador (Captain America: The First Avenger)

30 de julho de 2011 4 Comente Aqui!

Ontem fui conferir ao aguardado filme do Capitão América, o último passo da Marvel Estudios antes de lançar o filme Os Vingadores que reunirá em suas fileiras boa parte de seus heróis. A idéia por trás deste filme assim como aconteceu com Thor era apresentar o personagem do título e desenvolver uma empatia com o público. Coube a Cris Evans (Scott Pilgrim Contra o Mundo, Heróis) viver o papel do herói símbolo de um povo e ele manda bem nos presenteando com a sua atuação mais convincente nos cinemas, uma grata surpresa.

O trabalho de direção ficou nas mãos de Joe Jonston que comandou o fraco remake de O Lobisomem, já dirigiu um filme de heróis em Rocketeer. Ele também nos brindou com Jumanji um filme de aventuras bem legalzinho, mas o seu maior feito foi o drama O Céu de Outubro que além de ser um bom longa revelou para ao mundo o talento de Jake Gyllenhaal (Contra o Tempo, Amor e Outras Drogas, Entre Irmãos).

No filme somos apresentados a  Steve Rogers, que  nasceu durante a Grande Depressão e foi um menino franzino em uma família pobre. Horrorizado com a ascensão Nazista na Europa, o garoto parte para entrar para o exército. Mas, devido a sua saúde frágil, ele é rejeitado.Mas após escutar os apelos honestos do menino, o General Chester Phillips oferece a Rogers a chance de participar da Operação: Renascimento.

Depois de semanas de testes ele recebe o soro do supersoldado e é bombardeado por raios-vita. Steve Rogers aparece então com o corpo mais perfeito que um ser humano pode ter e é submetido a intensos treinamentos físicos e táticos. Meses depois ele recebe sua primeira missão como o Capitão América e, com seu escudo indestrutível, ele parte para combater o mal.

Em Capitão América assim como em Thor o elenco não é tão glamuroso quando as produções de Homem de Ferro ou Homem Aranha, mas segura as pontas muito bem. Para ajudar a Cris Evans o elenco conta com a maturidade de Tommy Lee Jones (Onde os Fracos Não Têm Vez, Homens de Preto 3) e o talento de Hugo Weaving (Transformers - O Lado Oculto da Lua, V de Vingança) que faz o vilão Caveira Vermelha. Somos apresentados também a bela Hayley Atwell um britânica que participa de seus primeiro filme em Hollywood, mas já com alguma experiência em produções do velho continente.

Assim como em Thor são descabidas quais quer comparações com Homem de Ferro (o melhor filme de heróis da Marvel), são projetos muito diferentes. A proposta dos filmes é totalmente diferente, são presonagens com posturas e atitudes distintas também, um é um bom vivant, outro um deus arrogante e o último um humano super careta. Ao entrar no cinema o espectador tem que saber o que esta comprando e perceber as possibilidades e limitações de cada um destes personagens. Capitão América é um boa adaptação de heróis e uma boa pedida para os fãs que aguardam anciosamente pelas novas empreitadas da Marvel nos cinemas.

PS: Não deixem de conferir as cenas depois dos crédidos, mas se você perdeu confira clickando aqui!
Nota: 8,0


Trailer:

4 Comente Aqui! :

  • renatocinema disse...

    Gostei do filme. Só achei que o inicio poderia ser mais curto e o filme ao invés de ter duas horas, uns dez minutos a menos.

    Porém, nada que atrapalhe.

    Boa adaptação.

    As cenas finais, pós letreiros é muito boa.

  • Cine Mosaico disse...

    Gostei do filme. Vi muita gente reclamando das cenas de ação, mas achei que foram feitas na medida certa. Consegui gostar do Chris Evans nesse filme, isso tb já foi um avanço.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...