Crítica: Amor a Queima Roupa ( True Romance)

20 de abril de 2011 2 Comente Aqui!

Mais uma vez Quentin Tarantino aparece como roteirista de um filme dirigido por um diretor renomado.  Amor a Queima Roupa, que conta com direção de Tony Scott (Incontrolável), é mais um filme que está citado no documentário Tarantinos Mind. Uma curiosidade interessante sobre a obra é que Tarantino vendeu seu roteiro por meros 50 mil dólares, pois para quem não sabe este foi o primeiro texto que ele tentou negociar e que passou muito tempo esquecido por entre as paredes de Hollywood.  Outro aspecto interessante é que por ter lançado um ano antes Cães de Aluguel, Tarantino ganhou tanto respaldo que alguns atores, como Brad Pitt (Clube da Luta, Bastardos Inglórios), Val Kilmer (Batman Eternamente), Gary Oldman (Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte I, Batman: O Cavaleiro das Trevas) e Samuel L. Jackson (Corpo Fechado, Ameaça Terrorista), aceitaram fazer pequenas participações nesta produção.

Na trama Clarence Worley conhece uma prostituta no cinema e como um conto de fadas se depara completamente apaixonado por ela. A paixão por Alabama é tão grande que em pouco tempo, ou pouquíssimo tempo de convivência, eles já estão casados. Clarence nunca conseguiu esquecer que um dia sua mulher foi prostituta e teve um protetor, ou cafetão, que era o responsável por suas atividades. Em um ataque de nervos e ciúmes o jovem sai em busca de Drexl para informar que sua "funcionária" estava casada e vivendo muito bem com ele. Lógico que isso não daria em boa coisa, mas em meio a um tiroteio Clarence pega por engano, ele apenas queria as roupas da mulher, uma mala cheia de cocaína e junto a ela a oportunidade de ficar rico com sua venda.

Este filme é um pouco diferente dos outros que Quentin assina e nos demonstra uma narração linear. Quero que saibam que isto foi obra de Tony Scott, mas quero que saibam também que sua montagem funciona muito bem. As referências que o roteiro faz a filmes famosos é um prato cheio para os amantes do cinema e o clima descontraído e cínico que toma conta da produção, fazem dela ainda mais interessante. O senso de humor aplicado a obra é seu ponto mais notável e tudo está perfeitamente exemplificado na cena entra Christopher Walken e Dennis Hooper, quando ambos falam de negros e sicilianos

Os atores principais apesar de não tão badalados, fazem muito bem o seu papel e a trilha sonora é bem interessante. Para os fã de Two and a Half Man, ainda há uma rápida aparição de Berta. Este longa só demonstra que Tarantino tinha muito potencial e hoje, graças a Deus, podemos ter a certeza disso.

Com esta crítica temos agora os filmes Assassinos por Natureza, Pulp Fiction, Cães de Aluguel e o próprio Amor a Queima Roupa, comentado no Blog.

Nota: 8,5


Trailer do Filme:



2 Comente Aqui! :

  • renatocinema disse...

    Eu gosto muito do filme, apesar de não ter grande inovações em termos de roteiro.

    Mas, alguns diálogos e a trilha sonora são espetaculares.

    Filme obrigatório para alguns.

  • Ragged_Robin disse...

    Gostei muito desse filme, não assisti na época que foi lançado no cinema, mas há uns dois anos. Apesar de não tão violento, tem o traço de Tarantino de loooongas conversas.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...