Crítica: Paradise Lost 3 - Purgatory

12 de fevereiro de 2012 11 Comente Aqui!

Essa semana irei fazer uma análise de todos os filmes indicados ao Oscar de Melhor Documentário de 2012. O primeiro a ser olhado com mais cuidado vai ser o Paradise Lost 3: Purgatory, um dos favoritos ao prêmio desse ano. Infelizmente ao que tudo indica o filme não chegará aos cinemas nacionais pois até o momento não existe nenhuma data prevista para o seu lançamento aqui nas terras tupiniquins. O filme é a "sequência" dos documentários Paradise Lost: The Child Murders at Robin Hood Hills e Paradise Lost 2: Revelations, que também não chegaram em nossos cinemas.

Todos os filmes foram produzidos pelo canal de TV a cabo americano HBO, famoso por investir pesado em seriados e também por produzir documentários de ótima qualidade. Os três filmes tratam de um famoso caso de assassinato nos EUA, que ocorreu na conservadora cidade de Memphis no Arkansas. Em 1993 três crianças de 8 anos de idade foram mortas no que aparentemente seria um ritual satânico. A polícia então prendeu e acusou os três adolescentes Damien Echols, Jason Baldwin e Jessie Misskelley. Após o julgamento mesmo com falta de evidências concretas de suas presenças na cena do crime todos foram considerados culpados, sendo sentenciados a prisão perpétua (Jason Baldwin e Jessie Misskelley) e a pena de morte (Damien Echols).

O caso obviamente teve enorme repercusão nos EUA e no ano de 1996 a HBO lançou o primeiro documentário que basicamente cobriu o julgamento. Já em 2000 o segundo documenário feito reune informações que levam a crer na inocência dos acusados. Fica claro já nesse 2° filme que aconteceram alguns erros durante o processo de investigação e também no julgamento dos acusados. Após esse filme os West Memphis Three (como são conhecidos os acusados) ganham apoio popular por sua luta a um novo julgamento. Figuras públicas também passam a apoia-los abertamente incluindo artistas como Johnny Depp (Rango, O Turista e O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus) e Eddie Vedder.

Posso falar com absoluta certeza que quem não viu nenhum dos dois documentários anteriores não ficará desconectado ou perdido durante este filme. Os diretores fizeram um ótimo trabalho contextualizando o que aconteceu anteriormente envolvendo o caso, as famílias envolvidas e os acusados. Particularmente achei muito boa essa atitude deles pois faz com o espectador se conecte mais ainda com a tragédia abordada, pelo menos para os que não conheciam essa história previamente como eu. Com isso ao longo desse novo documentário somos apresentados aos fatos de acordo com a sua cronologia, o que me levou a sensações bem distintas. Incialmente eu (até por não conhecer nada do caso) tive raiva dos acusados (pois até aquele momento me pareciam culpados) e depois quando percebi a sua inocência fiquei apreensivo e torcendo para que estes fossem libertados.

A parte técnica do filme é muito bem feita e gostei bastante como ele foi editado por conseguir mexer com a emoção do espectador. A trilha sonora também esta fantástica casando muito bem com as passagens do documentário mesmo sendo composta basicamente por músicas do Metallica. A escolha desta banda de metal é bem relevante, pois os acusados são fãs desse estilo de música. O fato de usarem roupas pretas e gostarem dessas músicas fez com que eles entrassem para a lista de suspeitos de prática satânicas (um preconceito muito imbecil mas que infelizmente ainda é muito presente em nossa sociedade).

Paradise Lost é um baita documentário, muito bem feito e que se conecta muito com o espectador um fato raro nesse gênero. Não vou me alongar muito mais sobre o que acontece pois eu quero (e também espero) que vocês leitores assistam. Foi muito diferente assistir a um filme que aborda a uma história real e ao longo da projeção ir mudando os sentimentos que tinha perante os acusados. Não sei ainda se este filme vai ganhar essa categoria do Oscar, mas com certeza tem a minha torcida. 


Trailer:

11 Comente Aqui! :

  • Celo Silva disse...

    Adoro DOCS, muitas vezes conseguem superar em emoção filmes ficcionaies. Quero ver esse, mas vou esperar uma legenda, meu inglês não está tão afiado assim. Otimo texto meu camarada! Abs!

  • Anônimo disse...

    apenas o Damien era fã do metallica os outros dois não, vc tem que assistir os dois anteriores, pq por mais que o terceiro de te uma idéia do caso, é melhor assistir os outros!

  • Renan disse...

    Esses documentarios produzidos pela HBO raramente saem nos cinemas e sim direto na HBO daqui, um exemplo é esse que ja ta na programação da HBO.

  • Anônimo disse...

    eu vi ontem de ontem no cinemax o 1 e o 2 e fiquei de cara com o filme HAHA se tratando de ser real : D minha opnião é que eles nao são culpados fiquei feliz que depois de 18 anos os 3 saiu e estão ai nas rua


    onde posso encontra esses 2 filmes para ver de novo nao acho em lugar nenhum ?

  • Silvano Vianna disse...

    Vamos lá...resposta grande para tentar abarcar todas as dúvidas.

    1 - O que Renan falou é bem verdade, nem em locadoras você devem encontrar os documentários...uma pena, mas é realidade.

    2 - Da para assitir o 3° na HBO, esse filme já esta em cartaz na programação deles. Não sei sobre o Cinemax, mas fico feliz que alguém pode conferir por lá.

    3 - Achei o link para torrent dos dois 1°s documnetários, mas sem legendas. Quem quiser arriscar o link é esse: http://thepiratebay.se/torrent/5873685/Paradise_Lost_1_and_2_%5B1996%5D_%5B2000%5D_West_Mamphis_Three


    4 - Legendas eu achei aqui, mas não ajuda muito pois só tem em outras línguas.

    http://www.podnapisi.net/pt/ppodnapisi/search?sK=paradise+lost

    5 - Eu fiz um pedido para o grupo Insanos (www.insanos.tv) fazer a legenda do filme, eles falaram que iam me dar uma resposta mas até agora nada. Acho que se vocês fizerem um pedido também dá para eles se motivarem a fazer esse trabalho.

  • Anônimo disse...

    Assisti apenas o último.

    O doc passa uma msg clara que a Justiça americana tb é falha.

    A investigação realizada foi fraquissima e corrida, o processo duvidoso, cheio de falhas e tendencioso e a sentença pré-concebida por um juiz que ja considerava os meninos como culpados.

    Fiquei abismada com a acúmulo de erros processuais do caso,com as falhas das leis, e pior ainda: com a relutância do Estado em rever o caso mesmo diante de novas evidencias.

    Em suma, doc muito bom, mas de nenhuma forma tendencioso ou sensacionalista.

  • Anônimo disse...

    Assisti todos os 3,nunca tive dúvida da inocência dos 3 adolescentes.É importante assistir os 2 primeiros pois levanta-se uma grande suspeita para o padrasto de um dos meninos acusados,que para mim é o verdadeiro culpado,no paradise 2 fica bem evidente isso,mesmo que no terceiro o rumo mude um pouco.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...