Resenha de Filme: Oblivion

12 de abril de 2013 13 Comente Aqui!

Chega aos cinemas nessa semana a ficção-científica Oblivion novo filme estrelado pelo astro Tom Cruise (Jack Reacher – O Último Tiro, Rock of Ages - O Filme, Missão: Impossível - Protocolo Fantasma). Trata-se do primeiro longa de ficção que Cruise estrela desde Guerra dos Mundos (2005), muita coisas mudou nesse período na vida do astro, menos a sua capacidade de ter um bom retorno nas bilheterias. Além de Cruise o filme tem no elenco nomes como: Morgan Freeman (Invasão à Casa Branca, Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge) que fazendo o renegado Malcolm Beech, Olga Kurylenko (7 Psicopatas e 1 Shih Tzu, 007 - Quantum of Solace) que vive o seu interesse amoroso e fazendo uma ponta como o sargento Sykes esta Nikolaj Coster-Waldau (Mama).

O filme é dirigido por Joseph Kosinski (TRON - O Legado), Oblivion marca a 2ª ficçao científica de grande orçamento sob a sua responsabilidade ele faz um belo trabalho - por sinal a trilha sonora lembra e muito a de Tron - O Legado. Assim como em seu filme anterior ele nos apresenta um visual bem singular do futuro e da tecnologia presente neste mundo, não chega ser tão deslumbrante quanto em Tron até porque em Oblivion os tons pasteis que são geralmente mais discretos predominam. Acho que o grande mérito do filme foi conseguir fazer uma história interessante, deixando algumas coisas a serem resolvidas mais no final da trama ao mesmo tempo que faz referência a vários clássicos da ficção-científica.

No filme Oblivion somos apresentados a Jack Harper (Tom Cruise) é um dos últimos residentes restantes na Terra. Ele é parte de uma grande força tarefa para extrair os recursos vitais, após décadas de guerras contra uma ameaça terrível conhecida como os "saqueadores". Tendo a missão quase finalizada e sempre vigiando os céus a metros de distância, sua vida é alterada radicalmente depois que ele salva uma mulher (Olga Kurylenko) em uma nave espacial que caiu. A chegada dessa mulher fará ele questionar tudo o que sabe sobre suas memórias e sua tarefa na Terra.

Uma das coisas que mais me intrigou sobre a produção foi a escolha do nome, especialmente depois de conferir o filme fiquei ainda mais curioso para saber o seu significado. Oblivion é um estado em que a pessoa não esta plenamente ciente do que acontece, relaciona-se também a perda de memória. Quem for acompanhar a produção vai perceber que o nome fala muito sobre o enredo, que foi até bem feito. O roteiro não chega a ser muito inovador, mas faz bem o seu papel de conseguir conectar o espectador com a história do protagonista e os sentimentos que este possui, ao mesmo tempo percebe-se referências a vários clássicos do gênero.

No final das contas Oblivion não é um filme que vai mudar a vida de ninguém, mas é uma ficção bem feita e se não arrisca muito também não faz besteira. A trilha é bem harmoniosa com a produção assim como as atuações e o roteiro, o final não é surpreendente mas é trado de forma a responder algumas dúvidas sobre a história e o faz com competência. Os fãs de ficção-científica e Tom Cruise podem ir tranquilos que encontraram um bom filme, pode não ser uma obra prima, mas essas são raras de encontramos mesmo; além disso um boa diversão nunca não faz mal a ninguém e o Oblivion proporciona uma boa sessão para o espectador.


Trailer:


FICHA TÉCNICA
Direção: Joseph Kosinski
Roteiristas: Joseph Kosinski, Karl Gajdusek
Gênero: Ficção Científica
Duração: 129 min.
Distribuidora: Paramount Pictures Brasil
Orçamento: US$ 150 milhões
Estreia: 12 de Abril de 2013
Elenco: Tom Cruise, Morgan Freeman, Melissa Leo, Nikolaj Coster-Waldau, Olga Kurylenko, Nikolaj Coster-Waldau, Zoe Bell, Andrea Riseborough, James Rawlings, Catherine Kim Poon.

13 Comente Aqui! :

  • Nagamine disse...

    Vi o filme hoje e concordo plenamente com a crítica. Gostei das homenagens que o filme faz (principalmente a 2001:Odisséia no espaço) e considerei um ponto positivo o roteiro não ser muito complicado (se bem que eu gostei de Tron: Legado, por isso meu comentário é suspeito =)

    abs!
    Fábio N.

  • Silvano Vianna disse...

    Pois é Fabio as vezes os retoristas querem inovar muito e terminam de se prejudicando, acho que é mais importante do que tentar inovar é fazer um roteiro coerente e bem feito e se Oblivion não surpreende tanto com certeza não comete nenhuma mancada. Faz o feijão com arroz muito bem feito e entretém o espectador. Obrigado pela visita e volte sempre.

  • Kevin disse...

    Qual é o nome daquele poema que ele lê no filme? ''E como pode um homem morrer se não pelas cinzas de seus parentes e pela irá de seus Deuses(...)''
    Não é bem assim, escrevi como me lembro, sabem me dizer o nome do autor (É horácio???), o nome do poema ou a frase correta e completa? Não achei na internet procurando.

  • Anônimo disse...

    Fiquei curioso a ponto de ir assistir Oblivion em sua estreia e o resultado não poderia ser diferente.. Eu adorei o filme.
    Tudo foi muito bem orquestrado levando-nos a acreditar em muita coisa da qual eu mesmo questionava se era verdadeiro ou falso.

    Por ser um fã nato de ficção, posso considerar que 2013 começou maravilhosamente bem...
    Oblivion é até o momento o melhor, só esperava que o filme tivesse sido lançado com uma versão 3D pra arrebentar um pouco mais... Valeu e Recomendo!

  • Anônimo disse...

    Quem assitiu,,poderia explicar..quem ativou a ogiva na nave foi o verdadeiro jack ou um clone??

  • Taina disse...

    E eu não entendi, afinal, o que era essa Tet (ou Tat), como ela surgiu e porque? Pode ter sido falta de atenção, ou ficou meio mal explicado mesmo?

  • patricia disse...

    Muito ruim o filme. Quase dormi no início em alguns momentos achei graça (da idiotice das falas) e acabei com raiva mesmo, de ter gastado e perdido meu tempo.
    História muito nada a ver e superficial.
    detestei

  • Anônimo disse...

    GENTE ALGUÉM PODE ME EXPLICAR O FINAL!! AQUELE JACK QUE APARECE BEM NO FIM,(NA ULTIMA CENA) ERA UM CLONE, O VERDADEIRO OU OQUE?

  • Anônimo disse...

    Gente alguém pode me explicar o fim? No fim aparece um Jack (na ultima cena) o qual possuía um 52 na roupa, ele é um clone, o real... Afinal oque, quem ele é?

  • Anônimo disse...

    Na minha opiniao o filme nao é bom nem ruim, no apecto tecnologico fez bem o que ja é esperado de um filme norte americano, mas nao gostei muito do enredo meio sem noçao, enfim tem o tom cruise no elenco lindo como sempre entao pra mim vale a pena

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...