Crítica: O Deus da Carnificina (Carnage)

5 de janeiro de 2012 1 Comente Aqui!

Deus da Carnificina é o novo trabalho do aclamado diretor Roman Polanski e é baseado na peça, homônima, de Yasmina Reza, fez questão de dar total apoio e co-roteirizou a adaptação para o cinema. Adaptação esta que é tão fiel, a peça, que o filme não chega a ser um longa, durando menos de 80 minutos, para seguir exatamente o roteiro apresentado nos palcos. Toda sua execução não sai do apartamento pequeno, de um dos casais, e a produção é um prato cheio para quem gosta de filmes que são focados nos diálogos. Como curiosidade fica a informação de que no Brasil há uma versão da peça, sendo estrelada por Deborah Evelyn, Julia Lemmertz, Orã Figueiredo e Paulo Betti.

A sinopse nos leva a dois casais adultos e civilizados que se encontram para resolver um incidente envolvendo seus filhos. Um deles quebrou dois dentes do outro numa briga na praça e sentar para tomar as melhores ações, foi a decisão dos responsáveis envolvidos. Nada que pessoas pacíficas e maduram não possam resolver, mas algumas vezes a fachada social que todos vestem, termina sendo desmanchada e os próprios adultos são capazes de sair do controle. Um campo de batalha se instaura e tudo pode acontecer.
Apesar de ser um filme fixo em um único cenário, seu orçamento beirou a casa dos 30 milhões. Pra onde foi tanto investimento? Para um elenco magnífico formado por quatro grandes atores e somadas diversas premiações e indicações ao Oscar. Kate Winslet interpreta uma corretora de móveis, casada com Alan, um advogado de grandes organizações, interpretado por Christopher Waltz. O outro casal é formado por Michael, um comerciante, interpretado por John C. Reilly, e uma dona de casa, interpretada por Jodie Foster. A conversa, entre os casais, começa calma e tranquila, até mesmo muitas foram as chances dela terminar de maneira pacífica, porém aos poucos foi tomando um rumo que envolvia educação, remédios, filosofias de vida e até mesmo enjoos e assassinato a hamsters. A raiva foi se imperando em cada um dos personagens, com o humor negro e até mesmo escrachado tomando conta da situação.


Todos os quatro atores estão incríveis, porém destaco a melhor de todas, Jodie Foste. Sua personagem tenta ser a mediadora da conversa e aquela que "negocia" as lições de moral que os pais do agressor de seu filho devem tomar. Suas explosões são cômicas e seu rosto fica vermelho como se fosse explodir, muita vezes por um assunto banal que ela discordava dos outros. Seu marido, Michael, se mostra completamente Bipolar e começa muito calmo e tranquilo, depois passa a odiar tudo e a todos, depois volta a gostar daquele que não gostava e a confusão impera em sua cabeça. Alan é extremamente folgado e não para um segundo sequer de atender as famosas ligações importantes de trabalho, que quebram a linha de raciocínio e lhe permite escapar de momentos de pressão. Nancy é a que se demonstra mais calma no começo, mas que termina sendo a mais explosiva de todas. Outra ótima atuação de  Kate Winslet .

Polanski consegue extrair o máximo de seu elenco e aproveita cada segundo com uma direção muito segura. Os momentos são todos bem retratados e deixo como notável o momento em que a conversa deixa de ser entre casais e se instaura uma disputa entre homens e mulheres. O enquadramento foi primoroso e faz com que possamos afirmar que este é um dos bons filmes do ano. As duas atrizes estão sendo tão elogiadas, que já foram indicadas ao Globo de Ouro 2012! O final do filme é demais! Vale a pena ver o que seu deu do coitado Hamster. É como estar no teatro, dentro de uma sessão de cinema.



Trailer do Filme:

1 Comente Aqui! :

  • Celo Silva disse...

    Pô, Tiagão, texto instigante hein! Tó relutando para esperar e ver esse no cinema, não sei se vou aguentar. POLANSKI sempre teve interesse em focar essas situações intimistas, entre quatro paredes, tanto que criou um filme aterrorizante com apenas uma atriz em cena (Catherine Deneuve) enlouquecida dentro de um apartamento. Sensacional, se chama REPULSA AO SEXO, se não viu, vale muito conhecer. POLANSKI dirige elenco com maestria, vide q consegui fazer ADRIEN BRODY ganhar um oscar, não me é estranho ver esses atores brilhares na mão do diretor. CARNAGE é um dos mais esperados por mim nos últimos tempos. Grande Abraço!

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...