Wall Street - Poder e Cobiça (Wall Street)

25 de setembro de 2010 5 Comente Aqui!

Ontem estreou o filme Wall Streer - O Dinheiro Nunca Dorme e este é uma continuação do primeiro filme da franquia, que foi lançado em 1987 e no Brasil foi intitulado de Wall Street - Poder e Ganância.

Nesta história conhecemos logo de início Bud Fox, um jovem corretor de ações interpretado por Charlie Sheen (Charlie Harper de Two and a Half Man). Ambicioso, este jovem rapaz tentar entrar em contato com os grandes clientes do mercado de ações e após se mostrar muito persistente obteve a chance de manter um contato com Gordon Gekko, interpretado por Michael Douglas que foi vencedor do Oscar neste ano na categoria de melhor ator. Mostrando ser astuto e inteligente, Buddy vai se tornando um homem de confiança de Gekko e começa a fazer parte de seus investimentos e a tomar conhecimento dos métodos de trabalho que enriqueceram o magnata. A questão é que por mais que Gekko diga que a ganância é uma coisa, algumas pessoas ainda aprenderam no berço que antes da riqueza há a necessidade de uma vida justa e que valoriza o próximo. Fox está muito feliz com o fato de estar se enchendo de dinheiro e levando a vida que sempre sonhou, mas com esta grana veio a sensação de vazio e o sentimento de que estava indo contra sua moralidade começa a aparecer.

Este Não é um filme fácil e exige que o espectador tenha um pouco de consciência de como funciona o mercado de ações e como uma pessoa pode manipulá-lo. Por outro lado o filme é capaz de provar o pensamento que foi se transformando ao longo do tempo. Antigamente era digno ser pobre e correto aceitar as coisas de forma amena. Hoje o dinheiro e o status tomam conta da forma como as pessoas são vistas e servem como parâmetro social. Gostei muito do filme e principalmente sobre os questionamentos feitos pelo jovem corretor ao ser novo amigo. Quanto dinheiro é suficiente? Em tempos de eleição isso me remete a aquele velho pensamento de que o salário de deputados é alto e que com eles é possível ter uma vida sem preocupações e me faz tentar imaginar quanto dinheiro essas pessoas acham que precisam para se sentirem satisfeitas. Quando é a hora de parar? A conquista material é uma coisa que move o mundo e é tão bem apresentado na visão de Gordon Gekko, que conseguiu fazer desse filme algo eterno. Igualdade social? Igualdade de direitos? Coisa do passado.

A falta de sentimento de bondade e compaixão que hoje fazem parte de uma rotina da vida das pessoas foi muito bem retratada vinte e três anos atrás. Não importa mais o que você pensa e no que você acredita. O que vale mesmo é quanto você tem em seu nome e em contas bancárias. Talvez seja por esse pensamento que hoje exista essa cultura de competição acirrada a ponto de pessoas se corromperem, se matarem e se venderem.

Perdoem-me, mas sempre que começo a falar de valores humanos esqueço que estou aqui para falar da minha opinião sobre filmes. As atuações são o ponto mais forte do filme e a presença de Michael Douglas é magistral. Ganância, desdém, autoconfiança são transmitidas sem muito esforço. O Oscar que ganhou foi muito merecido e se não fosse o talento de Charlie Sheen em acompanhar o ritmo não seria possível fazer algo que seria eternizado. Eu que estava acostumado a ver o ator fazendo comédia, fiquei um pouco abobado com sua capacidade de atuação em cenas de choro, riso, alegria e inexpressão.

O pecado do filme é que ele é muito previsível e a história, apesar de boa, pode ser considerada óbvia. Sabemos logo de cara o início, o meio e o fim.

Obs: Fizeram um comentário sobre nosso blog no Boletim Chic !!! Confiram

Nota: 8,0

Trailer do Filme:

5 Comente Aqui! :

  • modatendencias disse...

    Tiago!!
    Bacana, adorei o blog! Não tinha conseguido entrar antes devido ao corre-corre da semana do barra fashion, mas agora que conheci vou voltar sempre! Cinema é sempre bom, detalhado entao.. nem se fala ne? heheh
    Bjs e sucesso!
    Lucky

  • Cristiano Contreiras disse...

    Vi este tem tanto tempo que nem me recordo, por sinal todo seu texto está muito bem escrito e causa toda uma reflexão - parabéns, mas se tornou um dos seus melhores escritos aqui. Acho que a atuação de Michael Douglas foi merecedora do Oscar, realmente ele se superou até então.

    abraço

  • juli disse...

    Concordo com Contreiras qdo diz que esse é um dos melhores textos do Blog... mas (Contreiras) dê um olhada no texto de Doce Olhar...
    Qto ao filme, ele realmente é melhor do que o mais recente. Sem dúvida Douglas está incrível, no auge da carreira. Tb gostei do roteiro, mas confesso que me perdi um pouco nos detalhes do funcionamento do mercado finaceiro.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...